Português Italian English Spanish

“Se não houver acordo, apoio o candidato do meu partido”, afirma Iris

“Se não houver acordo, apoio o candidato do meu partido”, afirma Iris

“Eu sou partidário. Se não houver um acordo eu vou apoiar o candidato do meu partido. Eu nunca fraquejei nessa questão partidária.”

O líder emedebista e prefeito de Goiânia, Iris Rezende, deu, na manhã desta terça-feira (27), mais uma demonstração de união partidária. Ele reafirmou, durante entrevista à Rádio Sagres 730, que apoiará o candidato do MDB ao governo de Goiás: “Eu sou partidário. Se não houver um acordo eu vou apoiar o candidato do meu partido. Eu nunca fraquejei nessa questão partidária.”

Iris Rezende, a exemplo do presidente do MDB Goiás, Daniel Vilela, defende a união da oposição, que hoje tem dois pré-candidatos ao governo: Daniel Vilela, que é deputado federal, cujo mandato se encerra neste ano, e o senador do DEM Ronaldo Caiado, cujo mandato vai até 2022. “Vou sugerir aos dois que devem ser movidos pelo espírito público e fazerem uma união porque Goiás está a merecer.”

O presidente do MDB defende, além da união, o protagonismo do partido, desejo da militância demonstrado nos 17 encontros realizados ao longo do ano passado. “Passamos o ano de 2017 visitando todas as microrregiões do Estado e ouvindo o partido internamente: o que a maioria absoluta manifestou foi desejo de candidatura própria e é um dever de nós, membros da Executiva, levar adiante este desejo”, afirma o secretário-geral da legenda, deputado estadual Paulo Cezar Martins.

O prefeito de Goiânia afirmou que vai promover uma reunião entre os pré-candidatos para buscar a união. “Vou chamar os dois e mostrar a necessidade de uma união para que as oposições não frustrem o desejo da população.” Ressaltou, no entanto, que não aceitará pressão por datas. “Queriam que eu marcasse até o dia 15 (a reunião) e eu disse: não exijam de mim data”, relatou Iris, acrescentando que esse encontro pode acontecer no mês de março.

Ex-governador e liderança do MDB, Maguito Vilela também defende a união, mas ressalta que é uma prerrogativa dos partidos lançarem candidatos. “O MDB deseja ter o apoio do DEM. Claro que deseja e reconhece a importância disso. Mas se a decisão do DEM for por lançar candidatura, isso é uma prerrogativa deles”, argumenta, acrescentando que a população goiana tem mostrado um desejo de renovação política.

Na entrevista à Sagres 730, Iris falou sobre os movimentos de defensores dos pré-candidatos. “Recebi seis ou sete prefeitos exigindo uma definição e manifestando interesse pela escolha do Caiado. E recebi, lá no diretório, a manifestação de mais de 300 líderes do MDB gritando Daniel.” Além da posição das lideranças no diretório, 20 prefeitos do MDB estiveram com Iris em seu gabinete no início do mês defendendo a candidatura própria do partido e o nome de Daniel Vilela.