Português Italian English Spanish

Raquel Dodge profere palestra na maçonaria

Raquel Dodge profere palestra na maçonaria

Em evento inédito na Grande Loja Maçônica a procuradora-geral da República reafirmou compromissos de combate à corrupção e reiterou que precisa de parceiros como a maçonaria nessa luta

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, proferiu palestra na manhã desse sábado, 24, na Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás (GLEG). O evento aconteceu no Templo Nobre da GLEG e Raquel veio a convite do Grão-Mestre da Grande Loja, Adolfo Ribeiro Valadares. “Tenho aceitado poucos convites para proferir palestras, mas esse da maçonaria entendi ser um que deveria aceitar prontamente e estou muito honrada em poder falar para os maçons, suas esposas e convidados”, comentou a PGR. Cerca de 1.200 maçons e convidados assistiram à palestra. Pela primeira vez um alto dignitário do Ministério Público Federal compareceu à Grande Loja para proferir uma palestra sobre tão importante tema. O respeito que goza o Grão-Mestre Adolfo Ribeiro Valadares foi fundamental para que Raquel Dodge aceitasse se pronunciar em público dessa maneira. Raquel enumerou a evolução da instituição do Estado e a separação entre as coisas públicas e privadas para que a sociedade descobrisse ser necessário cuidar dos bens da coletividade sem que algum particular se arvores sobre eles. Em uma manifestação bem pausada ela lembrou da luta do Ministério Público Federal para combater a corrupção e fazer com que valores desviados sejam restituídos aos cofres públicos. “É preciso impulsionar nossa democracia e promover ações que façam Justiça. Temos o dever constitucional de priorizar a defesa dos jovens, remover as desigualdades sociais e regionais e condições que geram insegurança, violência, pobreza e injustiça, porque esses valores realimentam a corrupção”, enumerou. Adiante Raquel Dodge frisou que o Ministério Público tem um compromisso firme de defender a sociedade com todos os instrumentos legais que estão à disposição. “Pois mesmo o direito penal é instrumento de evolução dos direitos humanos”.


A exortação da procuradora-geral da República chegou à maçonaria como um chamado à postura proativa para aprimorar as instituições. “Precisamos de parceiros que defendam honestidade e ética, por isso resolvi aceitar o convite e comparecer nessa manhã à Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás e sei que aqui os teremos”. O Grão-Mestre Adolfo Ribeiro Valadares lembrou que Raquel Dodge é goiana de Morrinhos e o quanto ela enobrece os goianos com sua atuação firme e destacada. Lembrou também que a maçonaria brasileira teve sempre uma postura proativa na construção do Estado e no aprimoramento das instituições. Citou as lutas da independência, da libertação dos escravos e da Proclamação da República que tiveram maçons atuando em todas as linhas de frente.

Ao final Raquel Dodge respondeu perguntas que foram previamente selecionadas e disse ser favorável às audiências de custódia, falou que a Operação Lava Jato vai continuar, frisou ser contrária à liberação do porte de armas e o fim do Estatuto do Desarmamento e agradeceu a oportunidade de voltar ao Estado de Goiás. Com muita sensibilidade ela encerrou citando um poema de Cora Coralina que enaltece a coragem para seguir sempre lutando pela construção de um mundo melhor: “Desistir… eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério; é que tem mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas minhas pernas, mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça”.