Português Italian English Spanish

ACIDENTES FATAIS NO NORTE DE GOIÁS CHAMAM A ATENÇÃO PARA SITUAÇÃO DA BR-153

ACIDENTES FATAIS NO NORTE DE GOIÁS CHAMAM A ATENÇÃO PARA SITUAÇÃO DA BR-153

 

ACIDENTES FATAIS NO NORTE DE GOIÁS CHAMAM A ATENÇÃO PARA SITUAÇÃO DA BR-153

 
 

Cansados de esperar, populares se uniram para discutir ações que exijam uma solução rápida dos órgãos de fiscalização e órgãos federais para o impasse da duplicação da BR-153.

Consternados com os últimos acontecimentos trágicos que vitimou três moradores de Porangatu na BR-153, em apenas três dias, em um raio de 100km (Norte de Goiás e sul do Tocantins) representantes de classe e populares se reuniram na Aciap – Associação Comercial Industrial e Agropecuária de Porangatu para discutir ações que exijam dos órgãos federais, a duplicação da BR-153, no trecho de Anápolis (GO) a Aliança do Tocantins. A duplicação da rodovia federal arrasta-se desde 2014, quando a empresa Concessionária Galvão ganhou leilão de concessão no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). De lá pra cá, membros da diretoria foram investigados por envolvimento na Operação Lavajato e não obteve empréstimo ponte do BNDES. Em 2015, a empresa entrou com pedido de recuperação judicial. Em 2016, apresentou em audiência pública em Brasília um Plano de Retomada. Em maio deste ano, a Riviera Investimentos apontou interesse na obra. Mas, até o momento nada de respostas. Nada de solução para o problema mesmo com a cobrança dos representantes políticos.

 
 
 
 

A iniciativa de discutir ações populares para a causa, partiu do jornalista Sheilismar Ribeiro, vice-presidente do Conseg - Conselho Comunitário de Segurança de Porangatu. “Foi através das redes sociais. A discussão ganhou corpo rapidamente, inclusive com a participação de moradores de cidades às margens dessa rodovia, bem com de outras cidades mais afastadas porque apesar de ser um trecho de 628 km, estamos falando de um problema nacional, pois estamos falando de uma rodovia que á apelidada de rodovia da morte, que tem uma pista simples e que comporta diariamente milhares de veículos de pequeno e de grande porte. São ambulâncias, estudantes, profissionais, famílias, transitam nela. Então, o fluxo de veículos é muito grande e a manutenção tem sido mínima, devido a esse impasse. E, dessa conversa em grupos na rede, já marcamos a reunião pro dia seguinte, explicou. Sheilismar pondera ainda que, enquanto esse imbróglio não é resolvido, vidas são penalizadas.

“Como jornalista eu já noticiei e vi noticiarem muitas tragédias dessa rodovia. Já noticiei e vi noticiarem, reuniões e audiências públicas voltadas para o assunto. Já noticiei e noticiei e vi noticiarem às más condições dessa rodovia. A única resposta que temos é o número de acidentes e de vitimas. Claro que sabemos que a imprudência também impera, mas sabemos que com a duplicação o número de acidentes e principalmente os que causam vítimas fatias, diminuiriam, concluiu. Durante a reunião, o servidor público Giscard Brito apresentou ação popular encabeçada por ele e mais seis pessoas, contra a União, a Galvão BR-153 e o Departamento Nacional de Infraestruturas e Transportes (Dnit), além da ANTT e o seu presidente, Jorge Luiz Macedo Bastos. “Essa ação prevê a suspensão do contrato entre ANTT e Galvão, tornando o Dnit responsável pela conservação. Uma vez declarada a caducidade, a União deverá deflagrar um novo processo licitatório. Essa é a forma legal de se resolver esse impasse e acreditamos que em 30 dias teremos uma resposta. E essa manifestação popular também é importante”, pontuou.

 
 

Além do Conseg, a reunião contou com a presença de representantes da Aciap, prefeitura de Porangatu, câmara municipal, Sindicato Rural, Lions, Rotary Clube, lojas maçônicas, Polícia Militar, bombeiros e populares. Conjuntamente estas entidades decidiram fazer uma grande mobilização no dia 31 de maio, às 8hs da manhã em algum ponto da BR 153, cujo local será anunciado na próxima semana. Os representantes também afirmaram que irão buscar sua co-irmã nas cidades situadas no trecho que deveria ter sido duplicado para que as mesmas tb façam essa mobilização no mesmo dia e horário. “Acreditamos que se conseguirmos fazer um movimento simultâneo em Porangatu, Uruaçu e Gurupi, por exemplo, chamaremos destacada atenção para a causa, sobretudo junto a imprensa. Aproveitando a campanha nacional do "Maio Amarelo" que visa chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, usaremos essa cor como forma de chamarmos maior atenção”, disse Márcio Luís, presidente da Aciap. Na próxima quarta-feira (17), as 17h, na sede da Aciap Mais as entidades voltarão a ser reunir para definir mais detalhes para o evento.

Fonte: Comitê Manifesto Popular Duplicação BR-153